• IDEHSB lança projeto de acolhimento a Mulheres e filhos Vítimas de Violência Doméstica na RMS




    Com o intuito de oferecer acolhimento para mulheres em situação de vítimas de violência doméstica de qualquer tipo, o IDEHSB-Instituto de Desenvolvimento Humano e Social da Bahia lançou na manhã desta sexta-feira, 09, o seu mais importante projeto quando se refere à atenção social.


    O Projeto de Acolhimento a Mulheres e filhos vítima de Violência Doméstica, poderá acolher até 20 mulheres por vez e as ajudará com capacitação e adoção de novos rumos de vida com independência financeira, através da capacitação adequada e o fornecimento de instrumentos que lhe possibilite a manutenção e dos filhos logo após deixar o abrigo.

    Localizado em uma região estratégica, na cidade de Dias D’Ávila, tecnicamente o centro da RMS, o projeto é composto por um conjunto estrutural que oferece segurança contra o agressor, apoio psicológico, social e educacional além de treinamento para uma nova vida.

    Segundo a Diretora do Abrigo, Psicóloga Drª Lucilia Carvalho, as mulheres que chegam em situação de extrema fragilidade humana e social, são atendidas e passam por sessões de acompanhamento psicológico e social, com apoio jurídico para se adequar e resolver possíveis pendencias que existam com relação ao agressor.

    A inauguração do espaço que está sendo adaptado para receber as vítimas será inaugurado em setembro deste ano e contará com toda a infraestrutura que poderá ser observada no projeto apresentado.

    O projeto foi batizado de Casa Abrigo Provisório Cilene Guedes Martins em homenagem a uma das mais importantes mulheres e líder cultural e educacional na RMS. 

    Atriz, professora e diretora Cilene Guedes. Considerada a dama maior do teatro camaçariense e região se despediu desse plano, para se tornar uma estrela eterna nos corações e na memória do povo de Camaçari e RMS. 

    A Câmara de Vereadores de Camaçari a homenageou em sessão especial aprovada por unanimidade dos vereadores, incluindo nos anais da Casa Legislativa ata na qual registrou-se a seguinte homenagem  "A você, fica a gratidão por todo legado deixado para tantos artistas, para os amantes e admiradores do teatro, da cultura e da arte". 

    A atriz é natural de Barra do Mendes, no sertão baiano, mas foi em Camaçari que consolidou sua vida artística, chegando no município em setembro de 1974, época que fundou ao lado do esposo, também ator e diretor, Alberto Martins, o Teatro Amador de Camaçari (TAC). 

    Foram mais de 30 espetáculos encenados e um pouco mais de 40 anos de carreira no universo teatral. Cilene Guedes morreu aos 77 anos deixando os filhos Paula, Cláudia, Chico, e Ana Maura.

    Atriz, professora e diretora Cilene Guedes


    Veja o projeto em estilo revista eletrônica. Clique no quadrado no canto superior direito para ampliar e ver em tela cheia.

    Ou se interessar apoiar o projeto, veja as imagens em leitura dinâmica.






























    Fotos ::: Ilustrativa
  • 0 Comentários:

    Postar um comentário

    Os comentários são de responsabilidade dos seus autores. Em caso de ofensas, falsas acusações, serão deletados.